Bouba Aviária

Bouba Aviária

Definição: também conhecida como varíola aviária, é uma enfermidade causada por vírus e que afeta tanto espécies de aves domésticas como também as silvestres. Esta doença se caracteriza pela sua disseminação lenta e pode se apresentar nas formas cutânea (lesões crostosas nodulares), diftérica (lesões diftéricas no trato respiratório e digestório superior) e sistêmica.

Etiologia

Vírus da família Poxiviridae e gênero Avipoxvirus. Há 4 cepas, poxvírus aviário, de pombos, de perus e de canários.

Características do Agente

Vírus DNA envelopado

Resistência do Agente

Bastante resistente no ambiente e a desinfetantes.
São inativados por soda cáustica a 1% e por aquecimento a 50ºC por 30 minutos.

Patogenia

Vírus infecta células epiteliais e há formação de inclusões citoplasmáticas eosinofílicas (Corpúsculos de Bollinger) ou pode entrar via respiratória e causar lesões diftéricas em sistema respiratório e/ou digestório.

Epidemiologia

Amplamente difundida e descrita em mais de 60 espécies.
Afeta machos e fêmeas de qualquer idade.
Vírus com longo período de incubação (entre 4 a 10 dias) com lenta difusão.

Transmissão

Porta de entrada: lesões cutâneas (brigas/ação mecânica) ou por insetos (moscas e mosquitos).
*Cepa do vírus de pombo em galinhas causa somente lesão no local de inoculação.

Sinais Clínicos

Diminuição do ganho de peso, queda na produção de ovos, lesões oculares (cegueira), forma cutânea (seca) ou diftérica (úmida).
Forma Cutânea: verifica-se lesões crostosas em crista, barbela, pálpebras e áreas não cobertas por penas. Aves podem diminuir consumo, mas se recuperam.
Forma Diftérica: presença de placas amarelas em boca, faringe, esôfago e traquéia levando a dificuldade de alimentação, dispnéia, caquexia e desidratação.

Lesões

Macroscópicas:
Cutânea: nódulos que progridem a vesículas, pústulas e crostas. Lesões na cabeça e locais sem penas. Em frangos de corte pode-se verificar crostas nas asas (bouba atípica).
Diftérica: placas na membrana da boca, faringe, esôfago, traquéia e narinas. Placas aumentam de tamanho e são amareladas e necróticas.
Microscópicas: presença de corpúsculos de inclusão (Corpúsculos de Bollinger) o qual é patognomônico.

Diagnóstico

Anamnese e História Clínica.
Sinais Clínicos

Exames Complementares:

-Isolamento do vírus em ovos embrionados: macerado das lesões inoculados em embriões SPF com 9 a 12 dias e após 5 a 7 dias verifica-se presença de nódulos esbranquiçados.
-Histologia: presença de corpúsculos de inclusão (Corpúsculos de Bollinger).
-Sorologia: ELISA, PCR e Imunodifusão.

Diagnóstico Diferencial

Laringotraqueíte e micotoxicoses.

Tratamento

Não há tratamento efetivo

Prevenção e Controle

Isolamento das aves.
Biosseguridade.
Vacinação.
Controle das condições e manejo: evitar excesso de lotação, boa debicagem, controle de insetos e evitar canibalismo.

Vacinação

Vacinação com cepas de vírus de pombo e de galinha (cepas suaves) inoculados no pescoço ou no ovo.

Fonte: Veterinarian Docs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *