Micoplasmose

Micoplasmose

Definição: enfermidade causada por bactéria da classe Mollicutes levando a problemas respiratórios, reprodutivos e articulares.
*Pertencente a lista da OIE.

Etiologia

Bactéria pertencente a classe Mollicutes, família Mycoplasmataceae e gênero Mycoplasma.
Espécies: Mycoplasma gallisepticum, Mycoplasma synoviae, Mycoplasma meleagridis e Mycoplasma iowae.

Características do Agente

Bactéria relacionadas geneticamente como gram positivas e por perda de genes não possuem parede celular, comportando-se como gram negativas.
Sensíveis aos desinfetantes e ao meio ambiente.
São exigentes em condições de cultivo (difícil cultivo) e as colônias são características e tem forma de „ovo frito‟.

01-Mycoplasma galisepticum

Definição: causa doença respiratória crônica em galinhas e sinusite infecciosa em perus.
Pode-se ter aerossaculite em casos de complicações secundárias (Ex.: E. coli).

Epidemiologia

-Possui distribuição mundial e é encontrada em aves domésticas e silvestres.
-Os hospedeiros naturais são as galinhas e perus. E animais jovens são mais suscetíveis.
-Alta morbidade e baixa mortalidade em poedeiras e pode alcançar até 30% em jovens.

Transmissão

Horizontal:
Direta: aerossóis
Indireta: por materiais, substâncias do meio ambiente, pássaros silvestres e roedores.
Vertical: transmissão transovariana (ovos infectados)

Sinais Clínicos

Coriza, espirros, estertores úmidos, dispnéia com bico aberto e conjuntivite.

Lesões

Macroscópicas: excesso de muco, exsudato catarral nas narinas, traquéia e pulmão e edema de parede dos sacos aéreos. Se houver complicações com agentes secundários verifica-se septicemia, pericardite, perihepatite e aerossaculite.
Pode-se verificar problemas articulares, salpingite e encefalopatia em perus (rara).

02-Mycoplasma synoviae

Definição: enfermidade subclínica do trato respiratório superior. Infecta sacos aéreos quando associada com Doença de Newcastle, bronquite infecciosa e outros agentes.
*Dependendo da virulência e tropismo das cepas pode se tornar sistêmica, levando a sinovite infecciosa (infecção crônica de galinhas e perus que envolve primariamente as membranas sinoviais de articulações e tendões).

Epidemiologia

-Ocorre em aves comerciais de qualquer idade.
-Afeta galinhas e perus.
-Morbidade baixa em caso de sinovite e pode chegar até 70% em casos graves.
Nos casos de enfermidade respiratória tem-se morbidade de 100% com baixa mortalidade. Em perus a mortalidade por pisoteio/canibalismo é expressiva.

Transmissão

Horizontal: contato direto ou indireto com secreções respiratórias.
Vertical: por oviduto.
*Maior transmissão ocorre durante as primeiras 6 a 8 semanas depois da infecção,
quando as aves estão em produção. A transmissão pode ser interrompida e voltar em
situações de estresse.

Sinais Clínicos

Enfermidade silenciosa. Pode-se verificar estertores respiratórios, prostação, desidratação, emaciação e problemas articulares (edema de articulações e tendões e claudicação).
Em aves adultas reprodutoras se manifesta a forma crônica ou subclínica a qual desencadeia poucos impactos nos índices produtivos.
Na progênie tem-se ganho de peso reduzido, índices de conversão alimentar negativos resultando em refugagem.
Em galinhas comerciais a postura não é muito afetada.
Em perus os sinais clínicos são similares aos das galinhas.

03-Mycoplasma meleagridis

Definição: enfermidade caracterizada por problemas respiratório em perus, causando aerossaculite, diminuição da eclodibilidade, anormalidades esqueléticas e baixo crescimento.

Transmissão
Horizontal:
Direta: aerossóis;
Indireta: pelas práticas de manejo;
Vertical;
Venérea: infecção do aparelho reprodutivo das fêmeas com sêmem contaminado, infecção do aparelho reprodutivo começa nas 2 ou 3 semanas de postura, alcança seu ponto máximo na metade desse período e decai no final.

Epidemiologia

-Alta incidência de aerossaculite, chegando a 65%;
-Alta morbidade e alta mortalidade devido a infecções secundárias e canibalismos sobre as aves infectadas;
-Afeta somente perus;

Sinais Clínicos

Sistema Respiratório: pouco comum, pode-se verificar aerossaculite associada à à Mycoplasma iowae e Mycoplasma synoviae.
Sistema Locomotor: ossos metatarsianos apresentam-se curvos, tortos ou sofrem encurtamento, ocorre edema da articulação tibiotarsal e deformação de vértebras cervicais.

Lesões

Macroscópicas: aerossaculite nos sacos aéreos torácicos nos perus de um dia de idade com engrossamento das membranas, com exsudato amarelo e focos caseosos.
Microscópicas: sacos aéreos apresentam infiltração de heterófilos, células mononucleares e fibrinas.
*As lesões nos ossos são semelhantes as ocasionadas por osteoporose.

04-Mycoplasma iowae

Definição: enfermidade caracterizada por problemas respiratórios, articulares em perus e de eclodibilidade (morte embrionária).

Epidemiologia

-Bactéria sobrevive mais tempo no ambiente em comparação com os outros Mycoplasmas já citados.
-Alta morbidade e mortalidade variável.

Transmissão

Horizontal;
Vertical;
Venérea: via sêmen.

Sinais Clínicos

Redução da eclodibilidade em perus, deformidade nas pernas (controdistrofia, rotação de tíbia e dedos tortos), aersossaculite exacerbada por Mycoplasma meleagridis.

Diagnóstico para Mycoplasmas

Anamnese e História Clínica
Sinais Clínicos
Exames Complementares: os meios de diagnósticos para isolamento e monitoramento de micoplasmas devem ser seguindo as normas do Ministério da Agricultura da Pecuária e do Abastecimento (MAPA) e realizados em laboratórios credenciados.
-Isolamento do agente
*Material a ser coletado: swabs de traquéia e cloaca, órgãos (pulmão, seio infraorbitário, cornetos, traquéia, ovidutos e sacos aéreos), exsudato dos seios nasais e articulações e sêmen.
*Diagnóstico micoplasmológico: necessita-se de 20 amostras de aves com 1 a 7 dias de idade e com 12 semanas de idade e depois a cada 3 meses até o final da vida de um lote.
-PCR, imunofluorescência indireta, imunofluorescência direta, inibição do metabolismo, inibição do crescimento e imunoperoxidase.
-Sorologia (monitoria): soroaglutinação rápida em placa, soroaglutinação lenta, ELISA e inibição da hemaglutinação. Necessita-se de 150 amostras de soros e 2 testes com 12 semanas de idade e depois a cada 3 meses até o final da vida de um lote.

Diagnóstico Diferencial

Doença de Newcastle, bronquite infecciosa, coriza infecciosa, influenza aviária, problemas articulares, Staphilococcus, reovírus e associação de diferentes Mycoplasmas.

Tratamento

Administração de antibióticos quando for economicamente viável. Pode-se utilizar: danofloxacino, enrofloxacino e tilosina.
Em casos crônicos o tratamento é ineficaz.
Imersão de ovos infectados em soluções antibióticas e aumento da temperatura de incubação dos ovos.

Controle e Prevenção

-Biosseguridade (manejo adequadas de isolamento de granjas e núcleos, controle de pessoas, veículos, animais, controle dos ovos incubados e obtenção de aves certificadamente livres de micoplasmas)
-Monitoramento sorológico;

Vacinação

Vacinas: vivas (cepas F, ts 11 e 6/85 para Mycoplasma galisepticum) e inativadas para Mycoplasma galisepticum e synoviae.
Somente de poedeiras comerciais em qualquer idade antes da exposição de campo.

*Aves que fazem parte do PNSA (programa nacional de sanidade aviária) não devem ser vacinadas contra micoplasmose.

**Estabelecimentos de produção de linhagens puras, bisavós, avós e matrizeiros devem ser livres para todos os Mycoplasmas segundo a normativa do MAPA. Mycoplasma synoviae pode ser livre ou sob vigilância para matrizeiros. Caso granjas produtoras de bisavós e avós seja tida como positiva, deve-se fazer o sacrifício de todas aves e ovos incubados ou não.

-Livre: o núcleo ou granja avícola de reprodução apresenta controles sanitários – ausência de salmonelas e micoplasmas. O certificado é emitido após 3 testes consecutivos com resultados negativos.
-Sob Vigilância: o núcleo ou granja avícola de reprodução do tipo matrizeiro está sob vigilância sanitária e em monitoria – erradicação de Mycoplasma synoviae, após diagnóstico final positivo nos testes laboratoriais.

Fonte: Veterinarian Docs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *