Pneumovirus

Pneumovirus

Definição: enfermidade viral a qual causa a síndrome da cabeça inchada em galinhas e rinotraqueíte infecciosa em perus.

Etiologia

Vírus pertencente a família Paramixoviridae e gênero Metapneumovirus.

Características do Agente

Vírus dividido em subgrupos: A, B, C e D. Os subgrupos A e B são os mais prevalentes e no Brasil o que predomina é o subgrupo A.
Vírus envelopados sem atividade hemaglutinante.
Sensíveis a éter e clorifórmio e é inativado a 56ºC por 6 horas.

Epidemiologia

Síndrome da cabeça inchada apresenta baixa mortalidade.
Rinotraqueíte apresenta morbidade de até 100% e mortalidade entre 1 e 50% dependendo da existência de infecções secundárias ou não.

Patogenia

Tem-se a aspiração do vírus o qual coloniza e replica-se no epitélio respiratório ciliado (mucosa de condutos nasais, laringe e traquéia) causando estase deste epitélio ciliado, predispondo a infecções secundárias. Pode atingir a corrente sanguínea e atingir o trato reprodutivo, mais especificamente o oviduto.
A presença do vírus mais associações estressantes, poeira, gases ambientais, e outras doenças respiratórias ou imunossupressoras predispõem ao aparecimento de agentes secundários como a E. coli a qual causa processo inflamatório intenso, a qual pode afetar até tecido subcutâneo, ósseo e meninges.

Transmissão

Direta: aerossóis (aves doentes para sadias);
Indireta: por ração, cama e água.

Sinais Clínicos

Perus: apatia, espirros, sinusite, secreção nasal, conjuntivite e edema de face ou submandibular.
Matrizes: apresentam sinais respiratórios brandos e queda da produção em 50%.
*Em jovens a severidade dos sinais clínicos é pior.

Diagnóstico

Anamnese e História Clínica
Sinais Clínicos
Exames Complementares:
-Isolamento viral: cultivo em fibroblastos de embrião de galinha e deve se verificar o efeito citopático como o sincício ou cultivo em anéis traqueais verificando-se a ciliostase.
*Material a ser coletado: traquéia e cornetos nasais.
-ELISA, imunofluorescência indireta e PCR.

Tratamento

Administração de antibióticos para controle de infecções secundárias.

Controle e Prevenção

-Isolamento dos positivos;
-Plano de biosseguridade;
-Boas medidas de higiene;

Vacinação

Vacinas: vacinas vivas ou mortas;
Esquema: vacinas vivas em perus de 1 dia e vacinas mortas para matrizes.

Fonte: Veterinarian Docs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *